segunda-feira, 5 de outubro de 2015

A quem interessa o apagamento dos bissexuais e da bifobia???

Ai a gente vai lendo coisas pela internet e cai num texto que se chama "Não existe bifobia". Confesso: quase não consegui lê-lo todo! A vontade de vomitar era forte demais! Cada coisa horrorosa escrita, que dava vontade de cortar os pulsos e desistir da humanidade!

Eu poderia repudiar cada caractere deste texto, mas vou me concentrar no cerne do seu título e no pressuposto que tenta manter de pé a ideia por ele defendida:

"Uma “fobia social”, no sentido em que enquadramos racismo, homofobia, misoginia, depende da EXISTÊNCIA DE UM SISTEMA HIERÁRQUICO E/OU DE CLASSE, BASEADO NA EXPLORAÇÃO, SEGREGAÇÃO, DEGRADAÇÃO E SUBJUGO DE UM GRUPO DE PESSOAS. Isso não existe em relação a pessoas bissexuais."

Pensando dessa forma... Existe sim, bifobia, da mesma forma que existem as outras opressões citadas. E vou combater esse mito que quer destruir o conceito de bifobia com minha argumentação abaixo.

Bifobia é um sistema no qual pessoas monossexuais são consideradas hierarquicamente superiores às bissexuais. Uma prova disso é o privilégio que elas têm de fazer um texto falando sobre uma opressão que elas não vivenciam e neste texto reduzir bissexuais a meros vetores de DSTs, desumanizando-as. Ou seja, hierarquicamente, a voz de monossexuais sobre as vivências bissexuais é mais valorizada. Aí vão me dizer: "Ah, mas foi uma pessoa bi quem escreveu o texto". E não existem mulheres escrevendo textos com conteúdos machistas, defendendo ideias machistas por aí? Pois pra mim é a mesma coisa: a voz monossexual se faz tão forte que domina o discurso até de algumas pessoas bissexuais. A própria transformação das pessoas bissexuais em "vetor de DSTs" é uma forma de hieraquização: lésbicas = "mulheres limpinhas", higiênicas, saudáveis > (maior que, ou "melhor que") mulheres bissexuais = "mulheres sujas", não-higiênicas, portadoras de doenças.

Bifobia é um sistema de exploração no qual pessoas monossexuais são beneficiadas pela violência que nos acometem. Para pessoas heterossexuais cis, somos apenas mais um grupo a se considerar como subalterno, o qual se pode condenar a ameaças como possibilidade de demissão de emprego e, devido ao medo de ficar sem nenhum emprego, obrigar a pessoa a receber salários menores (ver estudos feitos em 2001, 2004 e 2008 por Plug e Berkhout, nos quais se aponta que na Holanda, lésbicas tendem a ganhar 4% a mais que mulheres bissexuais - http://goo.gl/a0Xmkz ), além de possibilitar negligência da atenção governamental em políticas públicas que atendam as nossas especificidades. Para pessoas monossexuais que não são heterossexuais cis, somos um grupo dentro da comunidade LGBT (olha, tem um "b" ali! o que ele significa?) que serve apenas como "massa de manobra'. Engrossamos o coro que traz benefícios específicos para a população "L", "G" (principalmente) e "T", mas pra gente mesmo nada é feito. Pq "bissexuais não existem" mesmo, né? "É só uma fase"... E nem sofrem opressão de verdade!!! Opressão de verdade é só homofobia e machismo. Lesbofobia é estilhaço de machismo, seguindo a mesma lógica. Transfobia é estilhaço de homofobia e/ou machismo. Bifobia então... é uma coleção de estilhaço! Tudo é só estilhaço! Como se a solidão de pessoas bissexuais que existe por conta da famosa frase "namorar pessoa bissexual? Vai que essa pessoa me troca por alguém de outro gênero" não beneficiasse as sexualidades monossexuais. Olha aí as lésbicas se beneficiando por tirar as mulheres bissexuais da "concorrência"! Olha aí os gays se beneficiando por tirar os bissexuais da "concorrência"! Usam nossa identidade pra agregar em seu grupo mais poder político e depois se sentem no direito de dizer que não sofremos opressões e que somos pessoas menos dignas de confiança (Pq não somos capazes de manter um relacionamento monogâmicos e, na verdade, somos meros "vetores de DSTs")!!! Mas isso não é exploração... a gente só sofre coisinhas bestas e reclama por puro mimimi...

Bifobia é um sistema de segregação, no qual pessoas bissexuais são condenadas à invisibilidade e discriminadas dentro de espaços LGBTs e também fora dele! Não há espaço para bissexuais terem voz ativa, se não no gueto bissexual! Até o fato da sociedade não imaginar que um casal composto por um homem e uma mulher pode ser composto por uma ou duas pessoas bissexuais já é sintomático da invisibilidade que sofremos! Essa invisibilidade nos segrega, destrói nossa auto-estima e permite ao governo não pensar em políticas públicas para nós! Quando uma lésbica decide não se relacionar com uma mulher bissexual, ela não está nos segregando, mas apenas "tentando preservar sua integridade física e emocional"!!! Uma frase tão higienista usada como escudo para mascarar a bifobia gritante! Enquanto isso, pesquisas sugerem que a saúde psicológica de mulheres bissexuais é que deveria ser alvo de preocupações de quem pretende "preservar alguma integridade emocional" ( http://goo.gl/m0m8LY ).

Bifobia é um sistema de degradação e subjugo, claramente perceptível nos relatos acima. Nos degrada também ao nos colocar numa condição de ter a sexualidade sistematicamente questionada, deslegitimada (o que acontece até com a opressão que sofremos - "Bifobia não existe!"). Nos degrada na hipersexualização da pessoa bissexual. Nos degrada e nos subjuga quanto nosso Movimento e os conceitos que usamos para nossa luta política são deslegitimados (como se fosse tudo "mera invenção e devaneio"), afinal é retirada de nós até nossa autonomia de compreender as nossas próprias vivências! Somos menos capazes de fazer uma análise do que vivemos, é isso? Se não fosse um sistema de degradação e subjugo, como explicar o fenômeno revelado por um artigo em que, estatiticamente, fica evidente que mulheres bissexuais experienciam taxas mais elevadas de violência por parte dxs parceirxs e de violação em relação a mulheres lésbicas e hetero e que homens bisexuais tambem reportam mais violência sexual (http://goo.gl/9TNrwW)?

Assim como pessoas brancas tendem a dizer que racismo não existe, homens tendem a não enxergar o machismo, monossexuais tentam dizer que bifobia não existe e muitos bissexuais reproduzem essa ideia!

A quem interessa que se consolide a ideia de que bifobia não existe? Quem são as vozes que querem destruir esse conceito poderoso? Fica a sugestão de leitura: Bifobia: um conceito legítimo – e potente!

Poderia dizer muito mais, contudo teria que me delongar demais. Fiquemos por aqui!

5 comentários:

  1. Seria ótimo mesmo se não existisse bifobia, homofobia, racismo, machismos, transfobia, etc e etc e etc e tdos outros tipos de perseguições e bullyings contra alguém que possa existir.
    Mas infelizmente tudo isso existe e nem precisa de esforço para notarmos, a sociedade esfrega na cara de todos nós essas intolerâncias e cada vez as pessoas parecem tornar-se mais fechadas e medievais nas suas atitudes, ou seja, exatamente o oposto que esperaríamos numa época de quantidade infinita de meios de comunicação e globalização de informações.

    ResponderExcluir
  2. eu não li o texto a que se refere, e pelo visto nem preciso para saber que estava cheio de bobagem, de hipocrisia e falsos paradigmas! seu argumentos estão perfeitos, pena que o asno que escreveu o texto não vai te ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante é ter um contraponto pra quem ler o texto lá não ficar com uma "análise" só...

      Abraços!

      Excluir
  3. a bifobia, e outras fobias, existem sem duvida! a sociedade, as pessoas, vão ter que aprender a lidar com todas as diferenças, as individualidades... mas ainda vai levar um PUTA tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Enquanto isso, trabalho de formiguinha!

      Excluir

Related Posts with Thumbnails