segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Orientação sexual e identidade de gênero: para além do binarismo

Este é um post básico, mas serve até pra quem já se considera num "nível avançado" de entendimento sobre a sexualidade humana. Posso dizer isso porque as diversas áreas do conhecimento humano continuam estudando a sexualidade humana e o progresso crescente trouxe tantas mudanças que mesmo as pessoas mais experientes nesse assunto podem se perder. Farei aqui, portanto, um registro de alguns dos conceitos básicos, mas nem sempre tão claro para todos.

Grande parte da mudança de significado de alguns conceitos básicos se deve ao novo entendimento a respeito do que é gênero. Logo, primeiramente, vamos fazer uma distinção entre sexo e gênero, seguida de uma explanação sobre alguns dos possíveis gêneros para depois rever as orientações sexuais frente a esse panorama.

Sexo se refere principalmente à caracteres biológicos. Engloba uma configuração de cromossomos, hormônios (e o balanço hormonal), gônadas (ovários, testículos), unidades reprodutivas (espermatozóide, óvulo), anatomia interna e externa e características biológicas sexuais secundárias. Muita gente considera o sexo biológico como algo dicotômico, como se houvesse apenas duas opções: macho e fêmea. Contudo, a Biologia contemporânea reconhece que esse sistema binário é incapaz de compreender as características sexuais, tanto da espécie humana como de outros seres vivos dióicos, visto que podem existir os intersexuais (indivíduos que apresentam diversas combinações dos caracteres genéticos, fisiológicos e/ou anatômicos, de forma que os termos "macho" e "fêmea" não conseguem defini-los de maneira precisa) e os indivíduos hermafroditas (esse termo vale para seres vivos que realizam reprodução sexuada e possuem em seus corpos sistemas reprodutores completos, de forma que, simultaneamente, são "machos" e "fêmeas" reprodutivamente funcionais). Como a espécie humana não é composta, em sua maioria, por indivíduos hermafroditas (já que não somos classificados como uma espécie monóica), é extremamente raro (para não dizer impossível) encontrarmos um indivíduo humano que possa ser considerado um hermafrodita verdadeiro (ou seja, reprodutivamente funcional, tanto como "macho" quanto como "fêmea"). Além disso, existe um grande estigma ofensivo associado à palavra hermafrodita, quando se refere a um ser humano, de forma que, mesmo num caso de hermafroditismo verdadeiro, é aconselhável que se use socialmente o termo "interssexual" ao se referir a uma pessoa.

Gênero está mais vinculado à sua própria percepção de quem você é (ou seja, homem, mulher, intersexual, transgênero etc.). Dessa forma, o gênero tem a ver, principalmente, com qualidades socialmente reconhecidas como masculinas ou femininas ou nenhuma delas ou ambas. De maneira semelhante ao que acontece com o sexo biológico, somos socialmente ensinados a considerar o gênero como apenas uma dentre duas opções: homem ou mulher. Novamente, esse sistema binário é insuficiente para a compreensão do gênero de todos os seres humanos, especialmente através das diversas culturas existentes. É válido ainda lembrar que uma pessoa pode se identificar com determinado gênero, mas ser percebida pelas outras pessoas erroneamente. Por isso, a identidade de gênero (como cada pessoa se identifica) nem sempre está relacionada a uma expressão de gênero. E, por tudo isso, faz-se necessário a expansão dos conceitos de gênero. Como os nomes que as pessoas usam para definir a própria identidade de gênero são dinâmicos, farei a seguir uma relação de algumas das possíveis identidades de gêneros, sem a intenção, contudo, de esgotar o assunto nem (in)validar determinadas identidades de gênero.

Algumas das possíveis identidades de gênero que podem estar dentro das condições de cisgêneros ou transgêneros:

  • Cisgêneros (pessoas cis ou cissexuais): Pessoas cuja identidade de gênero é concordante com o gênero que lhe foi atribuído (antes ou após seu nascimento) em razão de uma norma social cissexista que impõe um determinado gênero a um sexo biológico específico. Pessoas cisgêneras são sempre binárias, porque os gêneros designados são binários.
    • Mulher Cisgênero (pode ser abreviado como "mulher cis"): uma pessoa que foi atribuída (antes ou após seu nascimento) ao gênero feminino e ao sexo biológico de uma típica fêmea da espécie humana e se identifica com/ se apresenta como do gênero feminino.
    • Homem Cisgênero (pode ser abreviado como "homem cis"): uma pessoa que foi atribuída (antes ou após seu nascimento) ao gênero masculino e ao sexo biológico de um macho típico da espécie humana e se identifica com/ se apresenta como do gênero masculino.
  • Transgêneros (transexuais): São pessoas cujo gênero difere do gênero que lhe foi atribuído (imposto) pela sociedade. Pessoas transgênero ou transexuais podem ser binárias (mulheres e homens transgênero ou transexuais) ou não-binárias (que NÃO se encaixam nas classificações binárias de "mulher" nem "homem"). O termo "trans" pode ser usado como diminutivo de transgênero e transexual, porém há pessoas que se identificam somente com trans e não com transgênero e nem com transexual e isto deve ser respeitado. Algumas vezes (mas não necessariamente), uma pessoa trans* faz ou gostaria de fazer alterações em seu corpo físico com cirurgias, hormônios, ou outras modificações (por exemplo, treinamento vocal, vestimentas etc.) de forma a ser socialmente percebida como alguém do gênero a que se identifica. Pessoas trans que fazem essas modificações vivenciam um período na vida que chamam de "transição", no qual ainda estão adequando o próprio corpo à percepção social que gostariam de ter.
    • Mulher Transgênero (pode ser abreviado como "mulher trans" - ou "MTF", principalmente no caso da pessoa se submete a um processo de transição): uma pessoa que foi atribuída (antes ou após seu nascimento) ao sexo biológico de um macho típico da espécie humana e se identifica com/ se apresenta como do gênero feminino. Em geral, gosta de ser tratada por pronomes femininos (ela, dela, etc.) ou de termos de gênero neutro.
    • Homem Transgênero (pode ser abreviado como "homem trans" - ou "FTM", principalmente no caso da pessoa se submete a um processo de transição): uma pessoa que foi atribuída (antes ou após seu nascimento) ao sexo biológico de uma típica fêmea da espécie humana, contudo se identifica com/ se apresenta como do gênero masculino. Em geral, gosta de ser tratada por pronomes masculinos (ele, dele, etc.) ou de termos de gênero neutro.
    • Bigênero binário: alguém que se identifica como "homem" e "mulher" ao mesmo tempo. Uma identidade bigênero binária é uma combinação destes dois gêneros, mas não obrigatoriamente uma repartição meio a meio, já que quem se identifica assim muitas vezes sente – e expressa – cada um desses gêneros por inteiro.
    • Andrógino: é utilizado por quem tem qualidades socialmente chamadas de masculinas e femininas, mas se considera um terceiro gênero separado. Essa palavra tem raízes no latim: “andro” quer dizer “homem” e “gino” quer dizer “mulher”. Alguns andróginos podem se identificar como "gender benders", o que significa que estão intencionalmente distorcendo (“bending”) ou desafiando/transgredindo os papéis de gênero estabelecidos pela sociedade.
    • Neutrois: um gênero neutro e bem determinado que se posicionam totalmente fora e sem qualquer conexão com os gêneros feminino e masculino.
    • Multigênero: pessoas que se identificam com mais de um gênero. Podem ser bigêneros (neste caso, podem ser dois gêneros quaisquer), trigêneros (três gêneros quaisquer) pangêneros (experiência de gênero que se refere a uma enorme multiplicidade de gêneros que pode ou não tender ao infinito - ou seja, pode ir além do conhecimento atual sobre gêneros) ou poligêneros (multiplicidade de gêneros semelhante à pangeneridade, porém, geralmente, engloba menos gêneros).
    • Agênero: Alguém que não se identifica com qualquer tipo de identidade de gênero. Esse termo também pode ser utilizado por alguém que intencionalmente não demonstra qualquer representação de gênero reconhecida. Há quem passe por tratamentos hormonais e/ou cirurgias para fazer com que seus corpos se adequem a sua identidade de gênero nenhum. Algumas pessoas usam termos similares como “sem gênero”. 
    • Gênero Fluido: Alguém cuja identidade de gênero e apresentação não se limita a apenas uma categoria de gênero. Pessoas de gênero fluido podem ter compreensões dinâmicas ou flutuantes do próprio gênero, mudando de um para outro de acordo com o que sentir melhor no momento. Por exemplo, uma pessoa de gênero fluido pode se sentir mais como um homem num dia e mais como uma mulher no dia seguinte, ou sentir que nenhum dos termos se aplica a ela.
    • Gênero em Dúvida: Alguém que pode estar colocando em dúvida seu gênero ou sua identidade de gênero, e/ou considera outras maneiras de experimentar ou expressar seu gênero ou apresentação de gênero.

Como foi possível perceber acima, não é possível utilizar as orientações sexuais baseadas num sistema binário de gênero. Logo, as orientações sexuais também são mais complexas do que já foram consideradas antigamente. Abaixo, pretendo listar algumas das possíveis orientações sexuais sem a intenção, contudo, de esgotar o assunto nem (in)validar determinadas orientações sexuais.

Assim, algumas das possíveis orientações sexuais são:
  • Monossexual: conjunto de todas as orientações sexuais de pessoas que sentem atração por um único gênero.
    • Homossexual: alguém que sente atração sexual pelo mesmo gênero a que se identifica (neste caso, o prefixo "homo" é entendido como igual).
    • Heterossexual: alguém que sente atração sexual por UM gênero diferente do próprio gênero (neste caso, o prefixo "hetero" é entendido como diferente). É importante lembrar que NÃO se pode dizer que uma pessoa heterossexual é atraída pelo “gênero oposto”, porque não existe “gênero oposto”.
  • Bissexual: conjunto de todas as sexualidades que sentem atração sexual pelo mesmo gênero e também por gêneros diferentes (neste caso, o prefixo "bi" faz referência aos prefixos "homo" e "hetero", assumindo o significado de que trata-se de uma pessoa que sente atração por pessoas de gêneros que são iguais ao próprio gênero e também por pessoas que tem um gênero diferente). É um termo "guarda-chuva" pois, abriga em si diversos termos correspondentes a identidades de gêneros não-monossexuais.
    • Polissexual (muitas vezes um sinônimo para uma acepção mais restrita da palavra "bissexual"): pessoa que sente atração sexual por vários gêneros (dois ou mais), mas não todos. Exemplo: alguém que sente atração sexual pela maioria dos gêneros, exceto por pessoas agêneras.
    • Pansexual (ou Onissexual): (1) pessoa que sente atração sexual por todos os gêneros; (2) pessoa que sente atração sexual independentemente do gênero, ou seja, o gênero não importa.
  • Assexual: pessoa que não sente atração sexual por outras pessoas.
  • Demissexual: (1) pessoa que estaria entre a assexualidade completa (100%) e a monossexualidade/bissexualidade completa (100%); (2) quem somente sente atração sexual por uma pessoa após desenvolver uma forte conexão emocional com a mesma; (3) pode ser também o grau do tipo de atração, isto é, o modo com que a atração sexual se dá por algum gênero em específico. Por exemplo, uma pessoa bissexual pode ter também demissexualidade em relação a um gênero em específico.
Por ser este um assunto muito complexo, reforço o caráter de esboço desta postagem, a consciência do caráter efêmero desses conceitos e a abertura de minha parte para receber e analisar críticas que proponham acréscimos e/ou alterações.

9 comentários:

  1. Muito bom e didático este seu post ... parabéns ...

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. ótimo post.
    mas fale-me mais sobre demissexualidade, por favor?

    ResponderExcluir
  3. Nunca é demais saber mais!!! rsr

    Beijos Rafa

    ResponderExcluir
  4. A leitura é obrigatória!
    Beijas.

    ResponderExcluir
  5. Excelente vc pode me informar a autoria desta imagem presente no texto?
    meu email é jnetaroque@gmail.com

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails