quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Maromba

Faz um tempo que eu comecei a fazer musculação. Eu preciso, por recomendação médica de fazer exercícios, eu preciso de endorfina o máximo que eu puder, eu gostaria de ter mais massa muscular não só para ter um corpo mais bonito, mas pra me ajudar a me defender, caso preciso (sim, eu vivo numa cidade violenta e homofóbica).

E foi no ambiente peculiar da academia que eu descobri que gosto deste tipo de exercício. O momento de ir à academia para mim é um momento de prazer, longe de ser o sacrifício que é para alguns. Além disso, parece que dei sorte de encontrar um lugar bacana pra fazer esta minha atividade física. Não foi de primeira que eu acertei, mas estou satisfeito.

O primeiro lugar que tentei malhar foi numa academia aqui perto do bairro. A academia tinha uma estrutura muito boa e tinha um clima mais, digamos, familiar. Tanto os instrutores quanto os colegas foram extremamente receptivos e atenciosos. Um personagem aqui merece destaque: o Instrutor Fisiculturista.

Ele é o estereótipo do hetero que valoriza massa muscular em detrimento de massa cerebral. A meta dele é ter cada vez mais músculos e poder participar de um concurso de fisiculturismo. Ama mais seus alteres que sua namorada e tem como livro de cabeceira a "Enciclopédia de Fisiculturismo e Musculação" escrita pelo Arnold Schwarzenegger. Me lembro de vê-lo uma vez, treinando no aparelho "leg press" e, no fim de uma das séries, simplesmente virar e cuspir no chão, sem pudores ou vaidades. Esse cara chama todo mundo de "bichão" (e eu quase retruquei que era pra eu ser chamado de "bichona", mas achei desnecessário no momento...) e tem um bom coração, tentando ser legal com todo mundo, à maneira dele. Apesar da formação, não saca muito dos conceitos básicos da biologia envolvida no processo de ganho muscular e é do tipo que leva a sério o que qualquer um escreve no "Yahoo! Respostas" em retorno aos seus questionamentos. Enfim, uma figura memorável!

Fiquei nessa academia apenas um mês e tive que mudar por problemas de horário. Atualmente, em minha segunda tentativa, estou numa academia no centro da cidade que tem uma dinâmica completamente diferente.

Lá eu sou praticamente invisível. Uma coisa tremendamente deliciosa pra quem trabalha lidando com pessoas o dia inteiro. Fico de boa, escutando minhas músicas, às vezes navegando na internet pelo celular entre uma série de exercícios e outra. Tenho uma bela paisagem a se observar (tanto pelos belos homens, quanto pelas belas mulheres) e tempo para esvaziar a mente.

Três personagens merecem destaque aqui: um é o Instrutor Delícia, o outro é o Instrutor Camarada e o último é o Recepcionista Atencioso.

Instrutor Delícia dispensa maiores descrições: pele morena, lindo de morrer, tatuagens evidentes (e eu sonhando se há ou não outras que sejam não evidentes...) e é isso. Pra aumentar a tentação, descreve o modo correto de fazer os exercícios sempre com uma analogia sexual (mas não parece ser uma forma de cantar o público): "Nesse aqui, vc puxa o ferro como se estivesse metendo"... Não precisa descrever mais.

Instrutor Camarada é daqueles que faz questão de ser gentil e engraçado com todo mundo, apesar de ser um pouco tímido. Deixa a gente sempre à vontade e, quando chega à academia, faz questão de ir cumprimentar todo mundo. É por causa dele que, às vezes, eu tenho diálogos na academia durante os meus treinos. Se não fosse por ele, entraria mudo e sairia calado, conversando apenas na portaria com o Recepcionista Atencioso.

Recepcionista Atencioso é outro que faz questão de ser gentil e deixar todo mundo à vontade. Mas é bem mais falante que o Instrutor Camarada. Sempre prestativo, como um bom recepcionista, faz a gente querer continuar sendo cliente da academia. Merece destaque por dois motivos: quando me adicionou no Facebook, pude perceber que ele tem 15 amigos em comum comigo (todos gays); além disso, pude perceber também que meu gaydar continua não funcionando, como sempre foi...

No mais, minha meta é manter a frequência dos treinos pra me proporcionar esta experiência prazerosa que tem sido a musculação. Criar hábitos saudáveis e que me façam bem psicologicamente é o alvo que eu tô perseguindo há tempos e que me sinto aproximar a passos lentos, mas firmes.

15 comentários:

  1. Pavor que eu tenho de academia, só faria se fosse na vibe oposta a sua, de ter mil pessoas pra falar, mas a sensação que eu tenho é que os assuntos não me interessam naquele espaço, as pessoas, as opiniões.. Nada, nada, nada.. E veja bem vc.. Não sou uma pessoa preconceituosa, não mesmo, sou aberto e receptivo aos estilos de vida mais díspares ao meu, mas confesso que acadêmia me da uma preguiça muito além da física.. É espiritual mesmo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acreditava que teria isso, mas me surpreendi... rs

      Excluir
  2. Inveja mortal de quem consegue se animar a ter uma rotina de exercícios fisicos! mas sabe que lendo seu relato eu até que fiquei um pouco mais animado... sou como voc~e , gosto de ser invisivel! talvez isto seja mais facil numa academia grande... abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uai, tenta aí! Depois me conta o resultado! :)

      Abraços!

      Excluir
  3. queria ter dinheiro para voltar a academia, mas por enquanto não dá, só posso pagar o essencial. agora, que bom que vc está se exercitando, fiquei curioso para conhecer as pessoas. =)

    ResponderExcluir
  4. Gente, academia é o melhor lugar do mundo quando você quer ficar carente e ser um punheteiro de primeira, já que eu também não puxo assunto com ninguém, creio que por timidez. Qualquer interação mínima com os mais gatos do lugar eu já comemoro, para mim foi um prêmio ter uma incidente em um aparelho na frente do metro quadrado mais bonito da que eu frequento. Mas hein, preguiça eterna daquele lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha

      tô na fase só de observar e isso tá bom... rsrsrs

      Excluir
  5. Ai gente, te admiro, muito. Tenho preguiça infinita de academia. Até tenho vontade de malhar, tenho uma genética boa que se eu malhasse pegaria corpo fácil, mas o ambiente é complexo... muito complexo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria ter genética boa pra pegar corpo fácil! Eu tenho uma dificuldade TREMENDA pra ganhar qualquer grama de massa muscular que seja... Daí, isso é o que mais me desestimula em fazer academia...

      Excluir
  6. Oi, meu querido, tudo bem? Saudades das pessoas dos blogs...

    Sabe que você acabou me dando uma boa ideia? Acho que estou precisando voltar ao ambiente “acadêmico” (rs). Com a idade, tudo começando a “despencar”, pode ser uma solução.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uai, que bom que ajudei de alguma forma!

      Abraços!

      Excluir
  7. Oopa! Então... sabe que me vi obrigado a voltar a malhar, ano passado eu precisei fazer um tratamento de saúde e virei um velho de 90 anos, mas agora eu estou tentando voltar a ser gente de novo... mas dá um trabalho.... Como eu sempre sou o azarado da história, além dos instrutores, meu horário é jeito de mulher, todas em suas malhas e com olhares cobiçosos para as minhas coxinhas! :P kkk

    Quanto as lembranças... tenho certeza que elas não se perderam, estão ai guardadinhas e no tempo certo elas voltam, devagarzinho você vai recuperando-as e quem sabe não tem a chance de fazer outras novas... Deixa o tempo ser tempo...
    Nem sempre é facil... mas... não tem muita escolha.

    Fico na torcida! Grande semana para você!

    ResponderExcluir
  8. Está aí uma coisa q nunca curti ... Academia! Nunca passei da primeira semana ... o saco enche fáciil ... acho q sou uma beee de outro planeta ... rs

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails