segunda-feira, 9 de março de 2015

A vítima não tem culpa!

Não importa se a notícia é um estupro, se é uma agressão à uma pessoa LGBT que andava desacompanhada pela rua, se é sobre um furto, um acidente de carro, um golpe de estelionato: tem sempre alguém pra fazer o agressor dividir parte da culpa com a vítima. E olhe só: não basta vc ter sofrido uma violência, pq vc ainda vai ser culpada por sofrer aquilo! Ou seja; a agressão vem em dobro! A culpabilização vem em frases como:

"Ah, mas a mulher tava andando num lugar que não é muito movimentado. Daí, virou alvo fácil pro estuprador!""Mas também o viado tava se arriscando demais andando na rua dando essa pinta toda. O nosso mundo é homofóbico, gente! A bicha tem que disfarçar melhor!"
"Gente, mas carnaval é cheio de pessoas e o cidadão vacila deixando a carteira no bolso de trás? É claro que iria ser roubado!"

Na boa: que mundo é esse onde ser inocente ou ingênuo é algo digno de culpa? Seguindo esse raciocínio, daqui a pouco todos os tipos de criminosos andarão livres e a gente será culpado sempre que "dar a bobeira de sair de casa". Teremos que dar razão também a argumentos como: "Mas a culpa foi dele também porque tava viajando no carnaval. Todo mundo sabe que muita gente dirige bêbado nessa época do ano. É lógico que ele iria sofrer acidente na estrada! Tinha mais é que ficar trabalhando no feriado e não se arriscar viajando..."

Nas entrelinhas, quando alguém culpa a vítima por não ter sido "esperta o suficiente" pra se precaver, a gente tá dizendo que o agressor tinha o direito de fazer aquilo com alguém que fosse ingênuo e/ou mais frágil. A gente está concordando parcialmente com a existência desse ato, quando a gente não o repudia totalmente e não põe a culpa 100% no agressor. Esse discurso é repetido e serve como "alívio moral" pro agressor que pensa: "a vítima mereceu, pq deu bobeira". Quem repete esse discurso de culpabilização tem que pensar que é essa a mensagem que se passa quando atribui parte da culpa pra vítima. E cada um é agente de transformação desse mundo!

O mundo só vai parar de ter estupro quando pararmos de ensinar mulheres a não serem estupradas e ensinarmos aos homens a não estuprar. Só não haverá mais golpes de estelionato quando ensinarmos que não se deve cometer esse crime e não que devemos evitar de sermos vítimas dele. Só haverá fim da violência quando ensinarmos a não violentar e pararmos de ir pela estratégia ineficaz de ensinar a não ser um "alvo fácil". Temos que nos inspirar na reação dessa mãe ao descobrir que seu filho publicou um vídeo íntimo de sua namorada na internet:


E nem adianta tentar comparar a culpabilização da vítima com atitudes de prevenção, como quando se quer evitar uma doença. A prevenção de uma doença não é um paralelo válido porque o agente etiológico não escolhe intencional e conscientemente seu hospedeiro com intuito de lhe fazer mal. Uma pessoa que escolhe ser o agressor o faz conscientemente e é isso que deve ser combatido. Ela não pode ter nenhuma escusa! Só faremos a transição desse mundo real, inseguro e assustador para um mundo mais justo quando a gente colocar nossas energias 100% voltadas para quem agride e não ficar relativizando sobre "a parte da culpa da vítima".

Vítimas do meu Brasil, alegrai-vos: eu vos declaro inocentes!

10 comentários:

  1. Perfeita sua análise e sua percepção ... só me resta aplaudir ...

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Eu quero fazer minha mãe entender isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mostra esse post pra ela. quem sabe não ajuda? rsrs

      Excluir
  3. Isso é sim uma palhaçada - como raios uma pessoa em sã consciência pode causar isso? Isso não é humano, sinceramente ...

    Gossip of Men,
    http://gossipofmen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... O mundo não é bonzinho e justo...

      Excluir
  4. seu post é excelente, pior que é essa a realidade de sociedades machistas, preconceituosas e intolerantes.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails