quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Somos todos vítimas



Assista o vídeo acima. Ele traz uma fábula que conta uma história que nos ajuda a entender como surgem os paradigmas. E a vida está cheia deles.

Mas por que estou falando disso? No meu post em que eu apresentava meu pai para Blogsville, um comentário do Gato Van de Kamp me fez dar uma resposta curtinha que para o momento servia. A frase foi: "A história da minha família é um amontoado de vítimas".

A questão é que eu não duvido de que, na minha família, sejamos todos vítimas de um contexto. Acontece que algumas vítimas escolheram para si o sofrimento e outras foram, por várias vezes, forçadas pelo bando a nele permanecer como os macacos do experimento.

E é por isso que eu tenho orgulho do meu rancor. Ele é um mal necessário para que eu quebre o círculo vicioso que ainda existe na minha mente de permanecer sob uma ordem doente e sem nenhuma razão lógica de existir. Ele é minha chave para sair dessa gaiola.

12 comentários:

  1. Penso q todos nós vivemos mais ou menos assim com nossas histórias e conflitos interiores ... todos os temos em maior ou menor grau ... o problema maior é este mesmo q vc de maneira inteligentíssima discorreu:

    "A questão é que eu não duvido de que, na minha família, sejamos todos vítimas de um contexto. Acontece que algumas vítimas escolheram para si o sofrimento e outras foram, por várias vezes, forçadas pelo bando a nele permanecer como os macacos do experimento."

    Parabéns ... é por aí mesmo ... cabe a cada um usar as armas q possui para se libertar deste paradigma insano ...

    bjão

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Paulo na busca da libertação de paradigmas, mas, acho que o rancor pode ser um desses paradigmas impostos. Poderão existir outros caminhos que te tire dessa gaiola sem que seja necessário abrigar no peito sentimento tão forte e dolorido como o rancor.
    Meu lindo, estou com saudades...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quais caminhos?

      Também estou com saudades!

      Beijos!

      Excluir
  3. então amigo minha pergunta é: o que falta para vc se sentir completamente livre dessa familia? pq vc já tem a sua, não depende financeiramente deles, as únicas pessoas que vc tinha laços de carinho não existem mais, então, desculpa ser tão direto mais: o que ainda falta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cessar as cobrança das pessoas que me cercam (amigos, marido, etc.) no sentido de que eu resgate essa história, além da insistência por parte deles... Simples!

      Excluir
  4. Orgullho do rancor : mais um livro de auto ajuda. Em breve, nas livrarias... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahuahuahauhauhauahau.... Sacaneou, hein? rs

      Excluir
  5. gostei de ver essa história em formato de animação. quem sabe assim as pessoas que não a leram possam parar um pouco pra ver o vídeo e pensar a respeito.

    em relação ao que você colocou, minha opinião é que o rancor não leva a nada. como foi dito aí nos outros comentários também, existem outras formas de ser livre. lembre-se sempre que tudo que a gente faz ao outro volta pra gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummmm... A minha opinião é de que tudo leva a algum lugar sim, inclusive a ausência de atitudes...

      Entendo o que vc quer dizer, apesar de discordar radicalmente...

      Abraços!

      Excluir
  6. Essa coisa do rancor é tão complicada, né??? Foi como eu disse num post certa vez... A minha gratidão as pessoas que me fizeram bem é a face de uma moeda que tem no seu oposto o rancor por quem me fez mal...

    Mas... Embora eu ache que a expressão rancor seja um pouco estigmatizada e vários macacos metem porrada em quem tenta agarrar essa bandeira sem saber muito o pk, devo assumir que -talvez até em função desse estigma - acho ela pesada pra circunstancia... Rancor pra mim parece o cultivo de um sentimento ruim a cerca de algo que já morreu.. Já acabou...

    Não levo mais aquela vida, aquela pessoa não me faz mais mal, aquele tempo já passou e eu continuo remoendo ele como se fosse hoje, pensando nele, confabulando em função do que aconteceu nele....

    Acho que ser bacana com quem te faz bem e evitar quem te faz mal não tem a ver com rancor, mas com bom senso... E mesmos e tratando de passado.. Evitar quem te fez mal um dia, quem vc já sabe do que é capaz, quem a vida já mostrou que não dança a sua música... É ser racional. Todo mundo não diz que é necessário conhecermos o passado a fim de construir um futuro melhor? Pk no campo pessoal não pode ser assim?? Pk não é legitimo lembrar do que foi feito para me planejar novamente e não cair na mesma esparrela???? Não tem sentido abrir mão de experiencias ruins anteriores para conduzir minhas relações na atualidade... E acho que deveria haver um nome diferente de rancor pra isso...

    Rancor deveria ser associado apenas a nutrição de um sentimento ruim e atual para algo que já não tem mais sentido.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails