sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Evangélicos ao meu redor

Amigo Paquito: É muito engraçado você e a "Amiga Metaleira" serem tão amigos da "Amiga Briófita". Você é gay, a Amiga Metaleira é ateia e metaleira e a Amiga Briófita é evangélica. Que mistura improvável!


Cara Comum: É mesmo. Mas só para quem vê de fora. Convenhamos que ela é a "ovelha branca" entre nós, as "negras". No nosso setor, se o cara não é gay, ele é metaleiro, ou um pudim de cachaça, ou maconheiro, ou "revolucionário", ou ateu, ou outro "louco" qualquer que a sociedade geralmente discrimina. Daí são as pessoas daqui não se aproximam da Amiga Briófita por julgar que ela, por ser evangélica, não quer se misturar com os "loucos do demônio" que trabalham aqui. A verdade é que ela é uma pessoa muito tímida e fechada, com dificuldades pra se aproximar das pessoas, só isso. Quando ela percebeu que eu sou gay, ela apenas me disse brincando que ela tinha um histórico de se apaixonar por gays e que era pra eu tomar cuidado...

Amigo Paquito: Sério que ela disse isso? Ela é uma evangélica com a cabeça aberta então...


Cara Comum: Sabe o que eu acho? As vezes temos um preconceito tão arraigado que não conseguimos ver as pessoas além do rótulo. Muita gente, quando me conhece, não compreende como posso gostar de homens se não sigo o esteriótipo que eles tem na cabeça sobre o que é ser gay. Do mesmo jeito, eu tenho os meus preconceitos que me cegam. Na minha cabeça, pensar que a pessoa é evangélica já significou concluir que tal pessoa me obrigaria a receber uma pregação que eu não solicitei, que eu seria sumariamente condenado por ser o que sou e que a convivência com tal pessoa seria um verdadeiro martírio. E não foi só a Amiga Briófita que me fez repensar isso. Tenho uma amiga chamada Amiga Tubo de Ensaio que, quando soube que eu estou casado com um homem, me disse que o importante era eu ser feliz e que fazia questão que eu levasse o Maridão pra fazer uma visita na casa dela. E ela é evangélica. Tenho uma vizinha que vende aqueles colchões japoneses. Quando ela foi descrever o funcionamento do colchão de casal, teve o cuidado de corrigir a frase em que ela disse "o lado da mulher e o lado do homem no colchão" para "o lado do Cara Comum e o lado do Maridão", mesmo sendo evangélica e sabendo que o filho adolescente dela (que é gay não assumido) admira demais eu e o Maridão - ela disse isso na frente do filho. Tenho outra vizinha evangélica que também sabe da relação que eu tenho com o Maridão. Da última vez em que subitamente fui parar no hospital, foi ela quem deixou de lado tudo que ela estava fazendo e providenciou o meu transporte até o hospital. Nesse mesmo dia eu tive que ficar internado no hospital e iria passar a noite sozinho. Mas um paciente que estava em melhores condições que eu me ajudou muito, chamando os enfermeiros quando eu precisava, por exemplo. O cara era evangélico também e sabia que eu era gay.


Amigo Paquito: Mas você também só citou bons exemplos...

Cara Comum: Sim! Você tem razão. Nesse mesmo dia do hospital, um evangélico me ofereceu aqueles livrinhos com pregação e me xingou quando eu recusei. Tenho um amigo que foi demitido do trabalho porque ele é gay e, como no setor dele todos eram evangélicos, a chefe dele alegou que ele não contribuía para a harmonia do setor. Tenho um outro amigo que apanhava do pai evangélico e foi expulso de casa por ser gay. Mas quando conheci o pai dele me lembrei que já havíamos transado num banheirão da vida... Enfim. Eu penso que não podemos nos ater a um ou a outro extremo. Temos que pensar que, antes de sermos gays, metaleiros, ateus ou evangélicos, somos pessoas. E ninguém cabe estanque num rótulo. Por isso não vejo nada de estranho em nós três sermos amigos. Somos pessoas que gostam da companhia umas das outras...

18 comentários:

  1. oi, como assim vc transou com o pai do seu colega q expulsou ele de casa por ser gay? oi? como vc fala uma coisa dessas en passant?

    ResponderExcluir
  2. * Foxx, meu querido! Eu até pensei em destacar com cor diferente, mas iria parecer plágio de outros blogs... rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. rótulos são e serão sempre rótulos ... odeio todos eles ... em qualquer segmento temos uns e outros ... é fato q os outros são e serão sempre maioria e o uns serão sempre poucos ... com não sou guloso, me contento com esta minoria q sabe o que ser verdadeiramente um SER.

    Parabéns pela brilhante contextualização ...

    bjão

    ResponderExcluir
  4. * Bratz, meu querido. Eu não ligo muito pro rótulo. O que me incomoda é o que as pessoas fazem com ele... rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Na verdade eu acredito que as pessoas se esquecem de olhar as demais pessoas, é por isso que os rótulos vencem...

    Todo mundo tem um parente, ou um amigão da família que é gay e que ninguém acha que é pedófilo, tarado ou um degenerado, justamente porque é "o fulano!"

    E no final é tão bom ter um grupo "eclético"...

    ResponderExcluir
  6. Uma curiosidade.A "Amiga TUBO de Ensaio" sabe do filho dela?

    ResponderExcluir
  7. * Latinha, vc tá certo! Depois que as pessoas deixam o rótulo pra trás e passam a enxergar a pessoa por tra´s dele, fica difícil vincular o preconceito àquela pessoa... Abraços!!


    * Anônimo, a Amiga Tubo de ensaio ainda não tem filhos. Quem tem o filho que eu citei nesse post foi uma vizinha que vende aqueles colchões magnéticos japoneses. Não tenho certeza se ela sabe que o filho seja gay (até porque o filho é adolescente ainda e não se assumiu completamente para si mesmo), mas parece que ela sabe sim.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Leãozinho, to meio apressadin agora, mas juro que volto pra poder te ler... Agora só vim pedir pra vc passar lá no post da Dercy pk respondi a vc e ao Foxx.. Bachos

    ResponderExcluir
  9. * Gato Van de Kamp, seu lindo! Volta quando puder e quiser! Sem imposição, ok? Aqui é só na base do prazer... rs

    Vou lá ver o que me aguarda... rs

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  10. Bicho eu faço parte de tantos grupos improváveis e tenho muitos, mas muitos amigos evangélicos mesmo.. Meu FB, por exemplo, é cheio de crentes... Bem... Pra comentar sobre essa coisa de rótulos, mas olha.. Seria longo mesmo.,. Acho até que merece um posto.. Logo sai, logo sai...

    ResponderExcluir
  11. Papai Urso do Interior15 de janeiro de 2012 03:41

    Sorte sua, todo evangélico que conheci até hoje é uma das quatro opções a seguir: a)hipócrita b)invejoso c)fofoqueiro d)todas as alternativas anteriores. He he he, sério tenho restrições c/ essa gente. Já com católicos sou sempre bem tratado. Vou a missa e, pasme, até me sinto bem ouvindo pregação e rezando terço, como diz Marisa Monte na canção Amor I Love You -- "isso me acalma, me acolhe a alma, isso me ajuda viver"... Vá entender eu... a pessoa pira e não me entende, he he he.

    ResponderExcluir
  12. * Gato Van de Kamp, meu bem! Eu vi que vc fez mesmo um post sobre rótulos. E no fim, vou repetir meu comentário que deixei lá pra te responder por aqui tb:


    "Eu não disse no post que rotular é feio, menos ainda que eu não o faço.

    Eu só disse que enquanto a gente se fixa nos rótulos, a gente não enxerga as pessoas de verdade. Exatamente como vc disse em seu texto.

    Aliás, no final, minha postura é a mesma que a sua. Bom menino eu? No, thanks!"

    Abraços!!



    * Papai Urso do Interior, eu tb acho que ou eu dou sorte com evangélicos ou os outros é que dão muito azar. Meu problema maior sempre foi com os católicos. Com esses eu sempre dou mais azar. E não estou falando da Míriam Rios só não. Estou falando dos meus pais, dos meus irmão e de alguns "amigos", colegas de trabalho...

    Enfim, como eu disse no post, tudo é muito relativo e cada pessoa pode ir além do rótulo ou não.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  13. Cara Comum, vc tá parecendo 1 ilha cercada de evangélicos por todos os lados.
    Confesso que fiquei encafifado com o evangélico do banheirão que expulsou o filho de casa por ser gay. Não merece um post?
    Querido, a sua última visita ao IdG até me emocionou. Foi uma prova de amor e de paciência (rsrs).
    Bjaum.

    ResponderExcluir
  14. * Pois é, Junnior! Eu conheço muitos evangélicos! A maioria é tranquila, pelo menos comigo e pelo menos na minha frente.

    Essa história do pastor do banheirão eu já pensei em transformar em post, mas sempre tem um assunto que eu quero falar com "mais urgência" e essa história fica pra depois...

    Sobre a minha visita ao IdG, não estranhe: quando eu gosto de ler um blog eu quero ler tudo que pedi... rs

    Beijão, querido!

    ResponderExcluir
  15. Ri alto da sua postagem ! Sim... tô cavando fundo no seu espaço ( blog )...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael, tô vendo vc brincando de arqueólogo... rs. Só não entendi exatamente do que vc riu...

      Abraços!!

      Excluir
    2. Ri alto de vc ser tão rodada que nem o pai do moleque escapou ! rs

      Excluir
    3. Ah, tá! Normal isso. Minha meta já foi pegar toda a população da região metropolitana de BH... Huahuahauahauahau

      Excluir

Related Posts with Thumbnails