segunda-feira, 23 de maio de 2011

Humor???



Recebi por e-mail o texto abaixo, supostamente do Luis Fernando Veríssimo. Gosto muito deste autor e fiquei na dúvida se esse texto é realmente legal ou se eu era um idiota por estar rindo...

Leia o texto:

Fim da árvore genealógica
Luiz Fernando Veríssimo


- Mãe, vou casar!
- Jura, meu filho ?! Estou tão feliz ! Quem é a moça ?
- Não é moça. Vou casar com um moço.. O nome dele é Murilo.
- Você falou Murilo.... Ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico?
- Eu falei Murilo. Por que, mãe? Tá acontecendo alguma coisa?
- Nada, não... Só minha visão que está um pouco turva. E meu coração, que talvez dê uma parada. No mais, tá tudo ótimo.
- Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor falar logo...
- Problema ? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia ter uma nora... Ou isso.
- Você vai ter uma nora. Só que uma nora.... Meio macho.
- Ou um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um genro quase fêmea... E quando eu vou conhecer o meu. A minha... O Murilo ?
- Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido.
- Tá ! Biscoito... Já gostei dele.. Alguém com esse apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui ?
- Por quê ?
- Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência.
- Você acha que o Papai não vai aceitar ?
- Claro que vai aceitar! Lógico que vai. Só não sei se ele vai sobreviver.. . Mas isso também é uma bobagem. Ele morre sabendo que você achou sua cara-metade. E olha que espetáculo: as duas metade com bigode.
- Mãe, que besteira ... Hoje em dia ... Praticamente todos os meus amigos são gays.
- Só espero que tenha sobrado algum que não seja... Pra poder apresentar pra tua irmã.
- A Bel já tá namorando.
- A Bel? Namorando ?! Ela não me falou nada... Quem é?
- Uma tal de Veruska.
- Como ?
- Veruska...
- Ah !, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska.
- Mãe !!!...
- Tá.., tá..., tudo bem...Se vocês são felizes. Só fico triste porque não vou ter um neto ..
- Por que não ? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os óvulos.
- Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada?
- Quando ele era hétero... A Veruska.
- Que Veruska ?
- Namorada da Bel...
- "Peraí". A ex-namorada do teu atual namorado... E a atual namorada da tua irmã . Que é minha filha também... Que se chama Bel. É isso? Porque eu me perdi um pouco...
- É isso. Pois é... A Veruska doou os óvulos. E nós vamos alugar um útero...
- De quem ?
- Da Bel.
- Mas . Logo da Bel ?! Quer dizer então... Que a Bel vai gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o óvulo da namorada dela, que é a Veruska.
- Isso.
- Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha, filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel.
- Em termos.....
- A criança vai ter duas mães : você e o Biscoito. E dois pais: a Veruska e a Bel.
- Por aí...
- Por outro lado, a Bel....,além de mãe, é tia... Ou tio... Porque é tua irmã.
- Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser gerado no ventre da Veruska... Com o óvulo da Bel. A gente só vai trocar.
- Só trocar, né ? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre da Veruska.
- Exato!
- Agora eu entendi ! Agora eu realmente entendi...
- Entendeu o quê?
- Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos!
- Que swing, mãe ?!!....
- É swing, sim ! Uma troca de casais... Com os óvulos e os espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de outra.....
- Mas...
- Mas uns tomates! Isso é um bacanal de última geração! E pior... Com incesto no meio..
- A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso filho, só isso...
- Sei !!! ... E quando elas quiserem ter filhos...
- Nós ajudamos.
- Quer saber ? No final das contas não entendi mais nada. Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero,o espermatozóide. .. A única coisa que eu entendi é que...
- Que.... ?
- Fazer árvore genealógica daqui pra frente.... vai ser foda.
* (Luiz Fernando Veríssimo)
Não sei se acho graça da situação em que a cultura heteronormativa é posta em cheque e se vê impotente para resolver conflitos como este... Ou se penso que TALVEZ o autor esteja fazendo chacota com a possibilidade de nós LGBTs queremos ter nossas famílias, por mais choque que isso possa causar às pessoas...

O que vc acha?? Qual é o gume da faca que destila esse veneno??

15 comentários:

  1. nossa! eu não sei responder a sua pergunta.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Foxx... Por isso botei na berlinda... Já pensei na possibilidade do autor estar rindo da cara de todo mundo ao mesmo tempo... Mas aí ele seria mais genial e pedante que eu imagino... ;) Abraços!!

    ResponderExcluir
  3. PS: adorei sua nova imagem de perfil...

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Gostaria de agradecer as inúmeras visitas, seja sempre muito bem vindo ao kafé e fico imensamente feliz que tenha gostado.

    Sobre o seu blog é muito legal, com temas super interessantes.

    Bem se você foi idiota de estar rindo eu fui três vezes pior, pq quase não consegui terminar de ler.

    Achei o texto muito legal apesar de não saber exatamente se o Veríssimo esta fazendo chacota com nossa realidade! Mais no fim estamos vencendo a guerra...

    Beijos

    Te sigo.

    Estarei sempre por aqui...

    Patrícia

    ResponderExcluir
  5. Nada fácil, digamos...

    ResponderExcluir
  6. * Patrícia, seja bem vinda!!! pois é, o importante é que a guerra está sendo vencida batalha por batalha... Abraços!!!

    * Anônimo, nada fácil mesmo... rs. Abraços!!!

    ResponderExcluir
  7. Conheço esse texto há tempos e tb sempre me pergunto se é realmente do Veríssimo.
    Mas, sinceramente, nem ligo. Adoro o texto, hehehe
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Oi Cara, tudo bem?
    Menino, em partes é super engraçado, ao menos até a metade, mas quando chega no final é que a ficha cai e notamos o quanto foi um pouco preconceituoso o texto. Parece q ele estava ridicularizando sobre os homossexuais quererem terem seus filhos, independente da forma que serão concebidos. Assim como os héteros, tbm queremos ter nossas famílias, com direito a filhos, casinha com varanda, tá, pode ser apt, rsrs. Mas no final queremos tanto sermos felizes como eles.
    Gostei daqui viu? rs
    Me faz um favor: Vote em mim no prêmio TopBlog 2011, visite meu blog e vote através do selo do prêmio do lado esquerdo e por favor, faça propaganda e peça a seus amigos e amigos dos seus amigos para votarem tbm. Isso é muito importante, rs. Conto com vc.
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Eu enxergo esse texto com bons olhos (eu prefiro que seja assim e dane-se o que o autor quis incitar - ou o que os outros queriam que ele incitasse).
    E eu ri do texto sim, já li um livro desse leitor na escola e ele é fantástico de engraçado.
    Abbraccio!

    ResponderExcluir
  10. Apenas um texto engraçado, nada mais que isto. Não dá para patrulhar.

    ResponderExcluir
  11. * Autor, eu tb me perguntei se era mesmo do Veríssimo... O estilo é parecido, mas sabe como é... Eu tb gostei do texto... Só acho que, de vez em quando é bom a gente refletir sobre o que recebemos como mensagem dos outros... abração!!

    * Dil Santos, não tenho certeza se ele está ridicularizando os gays que querem ter o direito de ter família e construir a sua vida o ridicularizando a cultura heteronormativa que estabeleceu seus conceitos baseado apenas em suas necessidades e se mostra impotente para lidar com as diversas possibilidades... tem horas que leio esse texto e tenho uma dessas impressões... depois, em outro momento mudo de ideia... sobre votar em vc vou fazer o segui nte: vou visitar seu blog e se eu realmente gostar e achar que vc merece eu voto em vc, pra não ficar aquela coisa de votar em amigos ao invés de fazer justiça, ok?? Abraços!!

    * Thiago, confeso que adoro o Veríssimo, que ri com o texto e que tendo a enxerga-lo com bons olhos tb. Mas pra refletir, a gente tem que tentar ser um pouco mais impercial... rs. Abraços!!

    * Cronicas Gulosas, eu sei que é um texto engraçado e nada mais que isso. e a intenção não foi patrulhar... PORÉM, todo texto tem uma mensagem e mesmo através do humor pode se fazer as mais ácidas críticas... refletir as vezes sobre a mensagem por trás da piada pode fazer a gente a se questionar, a questionar o munod... Só propus um exercício mental pra que a nossa vida não se resuma á não-reflexão... Abraços!!

    ResponderExcluir
  12. Papai Urso do Interior8 de junho de 2011 10:12

    Fica frio, até onde sei L. F. Veríssimo é friendly e o texto tem humor não-ofensivo, deve ser dele mesmo. Isso da piada de 'veado' não vai mudar nunca querido, pode diminuir como aconteceu com os negros (ninguem conta mais piada de 'preto' em radio e tv, afinal racismo é crime e tudo deve ser pautado pelo termo afro-descendente, mas que piadas racistas ainda são contadas em núcleos familiares ou rodas de amigo, ah pode ter certeza que sim). Dias melhores virão. Acredito que algo melhor nos espera no final do arco-íris.

    ResponderExcluir
  13. * É Papai Urso do Interior, eu não tô fritando com isso não... Sei que esse tipo de piada ainda vai existir por muito tempo. Minha dúvida era só pq ficou muito ambíguo, vc não acha?? Mesmo que ele tivesse falando "mal" dos gays, eu não iria ficar fazendo patrulhamento. Mas acho importante, às vezes, a gente parar e pensar um pouco sobre o que nos cerca, inclusive o tipo de humor que nos cerca... Abraços!!

    ResponderExcluir
  14. Independente dos watts choque é choque e quem não estiver a fim de levar um (ns) é só não enfiar o dedinho na tomada alheia.

    Prefira achar graça do que acreditar que isso possa ser uma chacota mau aplicada.

    Adoooro o blog.

    Beijocas ;)

    ResponderExcluir
  15. * Carol DocE, também concordo com sua posição, mas evito ser muito radical nessas coisas...

    Obrigado pela visita!!

    Beijos!! *_*

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails