quinta-feira, 28 de agosto de 2014

O preço pago pelo que não queremos comprar

Essa semana me peguei pensando no quanto é difícil se reconstruir psicologicamente, depois que se é ferido durante grande parte da vida por um mundo que te faz acreditar que você é um ser inferior, indigno de felicidade. Estou falando de eliminar a homofobia internalizada e todo o sofrimento que vem junto com ela.

Os agressores, quando muito, acham que as desculpas bastam e que poucas palavras irão apagar o que fizeram. Contudo, quem segue durante muito tempo tentando lidar com a dor enraizada e arcando com todos os custos (financeiros, emocionais, sociais, etc.) somos nós, as vítimas da agressão.

Daí, eu acho um absurdo escutar um amigo que, nessa semana, me diz a seguinte frase: "ah, mas isso que você passou serviu para você se tornar uma pessoa melhor". Entendo o que ele quis dizer e porque disse essa frase. Ele queria me fazer enxergar um lado positivo em toda a agressão sofrida.

Contudo, eu não quero ser uma pessoa melhor. Eu só quero existir, sem ter que ser agredido pelo que eu sou. Seria pedir demais?

10 comentários:

  1. Nada a acrescentar depois desta portentosa sabedoria ... "eu não quero ser uma pessoa melhor, eu só quero existir ".

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. De fato, meu passado me tornou uma pessoa melhor sim. Eu tenho certeza que seria um homem igual a esses homofóbicos ou mesmo gay teria uma homofobia internalizada terrível como a maioria desses homens gays aqui de Natal, passar por tudo que eu passei de fato me fez ter consciência que eu não podia ser igual a eles. De fato.
    Mas concordo. Nenhuma criança deve passar pelo que eu passei. Nenhuma pessoa deve crescer vitima de ataques, com medo e vergonha de viver, infeliz como eu vivi. Ninguém deve passar por isso em sua vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Acho tão triste isso de ter que ser vítima dessa violência toda...

      Excluir
  3. Refletindo aqui: devemos querer ser melhor? Ou apenas existir? Penso que, se procuro ser melhor PARA MIM, consigo existir melhor.

    Tive a sorte de nunca ter sofrido agressões. Sei que elas existem e que trazem à tona o lado mais obscuro do ser humano. Resistir, com todas as forças possíveis, não é uma forma de ser melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu questionamento não é sobre ser ou não ser uma pessoa melhor (seja para si ou para os outros). Mas sim sobre: só é possível ser melhor se a gente passar pela agressão? Pq a vítima tem essa obrigação de ser melhor, para estar mais preparada para se defender, quando, penso eu, o correto seria que o agressor é quem deveria ser reeducado para não fazer estragos na vida dos outros?

      Excluir
  4. Assumindo que eu poderia ter sido esse amigo e que apesar de entender, mesmo assim você teria vontade de me mandar para a "Índia a pé"... Eu confesso que parei para pensar no que você falou e que isso foi bom para rever algumas coisas.

    Mas eu concordo com o que o moço ai de cima escreveu... se você resistiu a tentação de ir lá e retribuir o que lhe foi feito, você já é uma pessoa melhor.

    Grande abraço!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, e o que eu ganho sendo essa "pessoa melhor" que "resiste à tentação" de fazer uma vingança digna e justa (não fazendo a mesma coisa com o agressor, mas fazendo-o pagar pelo que fez...)?? Isso é que eu não entendo!!!

      Excluir
  5. como diriam "vou te contar para você"... eliminar a homofobia internalizada é um processo sem fim, mas de certa forma sempre me pego pensando ou agindo de uma maneira homofóbica! seu texto ficou muito bom porque vi bem ao cerne desta questão! o tempo e o trabalho necessários!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! E vamos juntos eliminar essa praga!

      Excluir

Related Posts with Thumbnails