quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Padrinho 'no more'

E aí que um colega, que chamarei de "Colega Mário", me reapareceu esses dias. Fomos muito amigos na infância desde a pré-escola até mais ou menos a quinta série. Eu vivia na casa dele e ele na minha. Brincávamos muito, de todas as brincadeiras de criança. Até tentamos aquela coisa de "troca-troca", quando éramos crianças demais pra ter a dimensão exata do que aquilo significava (tínhamos apenas 7 anos). Éramos, acima de tudo, dois irmãos de pais diferentes. Um irmão negro e o outro branco. E essa fraternidade para nós era muito forte. Naquela época, eu ainda era filho único e ele, como até hoje continua sendo, também não tinha irmãos. Portanto, fomos a companhia predileta um do outro para todos os momentos.

Só esqueci de contar que, nessa época, não éramos 2. Éramos 3. Tinha a presença de uma menina espevitada, a "Desenhista Debochada", que estava sempre junto daqueles dois moleques. Não tão próxima como eu e o "Colega Mário" fomos (meninos nessa idade se entendem melhor entre iguais), a "Desenhista Debochada" era, contudo, companhia certa pra formar o trio do barulho. O fato é que ela sempre foi mais ligada ao "Colega Mário" que a mim e nunca fez questão de esconder essa preferência. Eu e "Desenhista Debochada" até nos aventuramos em algumas histórias que não contavam com a presença do "Colega Mário", mas hoje penso que foi algo casual e que ela nunca fez questão da minha companhia de fato.

Depois, meu irmão nasceu, outros amigos se tornaram mais próximos e a gente foi se afastando aos poucos. Eu até tentei uma reaproximação quando o percebi distante, mas ele sempre tinha outros compromissos, sempre dizia que iria aparecer quando era convidado, mas nunca cumpria suas promessas.

Da sexta série até a oitava, nós três estudávamos na mesma sala, porém eu sentava longe dos dois (ou eles de mim?), já não fazíamos trabalhos juntos e fomos nos desligando aos poucos.

Fiquei 15 anos sem me encontrar de fato com o "Colega Mário" e com a "Desenhista Debochada", a não ser encontros rápidos e casuais.

Porém, essa semana, "Colega Mário" ligou me procurando na casa da minha mãe, que passou pra ele meu número de celular. Eu estava no meio de um tarefa complicada no serviço, quando atendo o telefone:

Colega Mário: Rapaz! Como é difícil te encontrar! Sabe quem está falando?

Cara Comum: Claro que sei. É o Colega Mário. Tudo bem?

(eu só sabia que era ele porque minha mãe já tinha me avisado que ele havia me ligado...)

Colega Mário: Eu estou te ligando porque queria te dar uma notícia e fazer uma proposta. Eu vou casar agora em dezembro e queria que você fosse o meu padrinho. Você entraria na igreja junto com a "Desenhista Debochada". E então? Você aceita?

Eu fui pego totalmente de surpresa. Estávamos tanto tempo afastados e eu nem conhecia a noiva dele (só havia visto ela umas duas vezes passando pela rua sentada no banco de passageiros do carro do "Colega Mário"). Mas, não sei porque diabos, eu disse que aceitaria tal convite.

Fiquei pensando muito mesmo nisso. Porque ele me escolheu como padrinho? Hoje em dia, somos quase estranhos um para o outro. Eu não tenho nem o telefone dele (ele me ligou do serviço), nem outra forma de contato. E todo mundo sabe que sou um zé-ninguém-pobre-dos-infernos. Não seria uma boa opção pra quem procura um padrinho que possa dar um bom presente de casamento.

Aliás, o que faz um padrinho de casamento? Só tem que assinar como testemunha da cerimônia, não é? Porque fazer mais que isso eu não vou fazer. Nem católico eu sou! Eu nunca fui um bom exemplo para "relacionamentos tradicionais"!

Mas a pergunta mais difícil de responder foi: porque eu aceitei tal convite sem pensar?

Eu odeio qualquer tipo de evento: festas de aniversário, Natal, casamentos. Imaginar eu lá na preparação dos padrinhos antes da cerimônia, sentadinho no banco da igreja ou indo até o altar durante a cerimônia, tirando as fotos e tudo mais o que um padrinho tem que fazer já me faz sentir náuseas.

Mas o que será que me fez não dizer que eu estava muito surpreso com o convite e que não fazia ideia se devia aceitá-lo ou não? Foi preciso horas matutando sobre o assunto pra entender que eu realmente não quero ser padrinho. De ninguém. Nem de batismo, quanto mais de casamento. E, se eu tive que pensar tanto pra concluir que não queria, porque eu não respondi com um "me deixa pensar um pouco?" no momento em que ele jogou essa bomba no meu colo?

Mas agora já não dá mais pra voltar atrás. Seria muita sacanagem da minha parte mudar de opinião dias depois de confirmar minha participação e receber o convite para o casamento. Agora só me resta arrumar uma roupa adequada a ocasião (e eu detesto esse tipo de roupa) e cumprir o pequeno sacrifício.

Mas já combinei comigo mesmo: negarei qualquer proposta parecida que venha depois dessa. Me chamem apenas para comer os docinhos da festa e nada mais. Só abro exceções se for pra entrar na igreja de braços dados com a figura abaixo...

15 comentários:

  1. Caraca! descobri um q é exatamente como eu ... tb odeio todas estas chatices e caretices sociais ... acho q este e e sempre será o maior ponto de discórdia entre eu e o marido ... aff ... já fiz muito isto q vc está fazendo agora mas definitivamente não faço mais já a algum tempo ... casamento, formatura e coisas afins por favor ... NOT ...

    bjão

    ResponderExcluir
  2. Situação complicada.Detesto quando a minha língua é mais rápida que a minha mente.

    Talvez tenha sido a surpresa dessa pessoa ter entrado na sua vida de novo depois de tanto tempo, um "não" ou um "vou pensar" provavelmente cortaria imediatamente a possibilidade de uma reaproximação.

    Não que você queira realmente se aproximar de novo dele, isso só você pode dizer, mas eu ficaria pelo menos curioso para saber no que vai dar.

    Abraços!

    OBS.:Trio do barulho é SUPER "Sessão da Tarde".

    ResponderExcluir
  3. A decisão foi tomada. Vá e curta o que der pra curtir.
    Boa sorte - inclusive na possibilidade de encontrar alguém parecido com o cara aí de cima.

    ResponderExcluir
  4. vc só não questionou a honra de ser a pessoa q ele escolheu pra estar ao lado dele nesse momento importante da vida dele né? vcs podem ter se afastado, mas vc ainda é o amigo q ele acha q pode contar pra um evento dessa magnitude.

    e outra coisa: vc teria coragem de negar um pedido meu? rá! te peguei.

    ResponderExcluir
  5. Calma, Maria do Bairro

    Menino deixa de tempestade em copo d’água... Eu, assim como vc, sempre odiei essas formalidades, até que o povo me achou e ai, como disse ontem no blog do Fred, só esse ano fui a casamento em todos os meses desde agosto, nesse sábado vou ao de novembro e mês que vem tem mais... Pelo menos duas vezes por ano sou padrinho de algum casamento, ano que vem tenho dois em abril e sou padrinho de um deles... Confesso que nem sou muito fã da cerimonia em si, mas no fim da historia me acostumei e por causa disso acho que posso ajudar em todas essas suas angustias.
    Inicialmente deixa eu te explicar por que vc foi convidado... O casamento é um evento de uma vida inteira, mesmo que n dure uma vida inteira a intenção é essa, então tipo... É comum os noivos não quererem ter como seus convidados apenas as pessoas de hj para celebrar esse dia, mas os amigos de todos os tempos... Por exemplo, essa amiga que serei padrinho em abril, estudou comigo no segundo grau e atualmente eu só a vejo uma vez por ano no churras da turma, mas ela quis um casal de padrinhos que representasse aquelas pessoas e aquele tempo e ai nos convidou... Tenho meninas que eram mais próximas de mim e são até hj, mas ela a escolheu pra representar as meninas daquele tempo e me escolheu pros meninos, pk pra ela nos destacamos... E daí n é sacrifício nenhum ficar do lado dela 20 minutos de cerimonia, até pk gosto dela, mas ainda que não gostasse, o casal n tem que fazer sentido pra mim e sim pra noiva... Já entrei até com gente que não conhecia...
    Essa situação me fez lembrar o casamento da lady kate com o príncipe Willians.. Um dos convidados dela foi o carteiro da sua rua, tá beleza que ele não foi padrinho, mas definitivamente ela n deve ter pensado em presente caro qdo o convidou... Tem gente que realmente não se importa com isso...
    De mais a mais vc tah todo equivocado a cerca desse papel de padrinho, tanto que chegou ao absurdo de dizer “não sou de criança, muito menos de casamento”... Menino, padrinho de criança é uma responsabilidade pra vida inteira e nesse caso sim é importante que tenha uma tradição religiosa (muito embora muita gente nem se importe com isso)... Padrinho não tem necessariamente nem que assinar de testemunha como vc falou, é apenas uma formalidade, vc só compõe um altar.. É iconográfico, está ali como representante de algo.. Ou da turma do colégio, ou da família, dos amigos do trabalho, da infância... Seja lá do que for...
    Pk vc aceitou?? Pk n teve tempo pra pensar, pk nunca havia sido convidado antes e se quer pensando sobre isso algum dia na vida.. Foi pego de surpresa, mas olha.. É bacana, poxa... Vai ver q n tem bicho de 7 cabeças e de uma próxima vez dependendo de quem forem os noivos até aceitará novamente.. O terno é super tranquilo, aqui na minha cidade o aluguel com sapato e tudo cica em torno de uns 60 reais... Ai em BH não deve ser muito diferente, se fosse daí até me oferecia pra ir com vc, mas n se preocupe, mesmo eu n indo as meninas que trabalham nessas lojas são ótimas e acertam ele direitinho no seu corpo, no dia seguinte é só devolver... Não tem erro....
    Relaxa com presente tb.. Compra um faqueiro ou qq coisa assim... É útil e barato, uma boa alternativa tb é vc pegar o tel da sua madrinha e ligar pra ela perguntando se n topa dividir o presente já que vão ser padrinhos juntos.. É uma boa oportunidade de revê-la antes da cerimonia e de repente ela mesma te ajuda com o terno e ai vc já ver a cor do vestido dela pra combinar a gravata... Vai por mim, não é esse pesadelo todo, palavra de quem entende do assunto..

    ResponderExcluir
  6. Aki.. COmo e crevi pouquinho voltei pra falar mais.. ahuahauahaua.. No post sobre a suspeita do seu namorado ter achado seu blog voltei e fiz uma pergunta que vc não me respondeu.. Fiquei até na dúvida se ela foi... Nesse post vc dizia que lembrou desse post do meu pai e eu estranhei já q fiz esse post em 2009 e perguntei se vc já me lia naquela época...

    ResponderExcluir
  7. * Bratz, meu querido! Formatura eu não fui nem na minha, pra vc ter uma ideia do quanto eu "adoro" esse tipo de eventos... Enfim, não estamos sozinhos, não é? rs

    Abraços!!


    * Anônimo, pra ser muito sincero, eu não tenho o menor desejo de reaproximar, não.

    E o "trio do barulho" foi pra ironizar mesmo, estilo Sessão da Tarde. Na época, nós éramos conhecidos como "Trio Parada Dura". Mas, em respeito ao nome de tal ícone da música caipira que tem minha grande admiração, preferi não usar tal alcunha aqui no post.

    Abraços!!



    * Junnior, eu vou. Curtir já é outra história. E sobre encontrar alguém como o cara da foto do post lá no casamento não é meu objetivo. Foi só uma piada. Já estou bem servido com o que tenho... rs

    Abraços!!


    * Foxx, não mesmo! Eu não sou esse amigo que vc diz e nem ele é o amigo que a atitude dele faz parecer... O que eu questiono nesse post é exatamente isso: somos quase estranhos um para o outro. Vc tem que ver como foi artificial todo o contato que tivemos quando ele me fez a proposta e entregou o convite de casamento...

    E sobre ter coragem de negar um pedido, eu negaria com certeza se eu estivesse certo de que não é o que eu queria... Não importa quem fizesse o pedido.

    Abraços!!


    * Gato, entendo seu ponto de vista, mas tem mais caroço nesse angu. Essa coisa toda mexeu comigo com todo sentimento negativo que cultivo desde essa época. Sabe o que significa rancor? É disso que eu falo. Amizades falsas, intrigas, vingança. Só não coloquei todos esses detalhes pra postagem não ficar maior do que já está...

    E sobre a sua resposta, ela está lá nos comentários, abaixo da sua pergunta... ;)

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  8. Com a figura abaixo eu também abriria muitas exceções. rsrs
    Detesto essas formalidades tbm, mas às vezes é bom experimentar nosso lado bom-menino. rs
    E quem diria que a Desenhista Debochada iria reaparecer agora junto do Colega-Mário.
    E ainda mais que ele ainda tinha tanto apreço por ti.
    Realmente tem pessoas que vivem nos surpreendendo.

    Abraço e sucesso no casamento!! = ]

    ResponderExcluir
  9. Papai Urso do Interior20 de novembro de 2011 21:04

    Huhahahahaah... Me perdoe mas não deixa de ser engraçado, como que faz agora, hein?!? Que ideia vc vai trocar com a "desenhista debochada" quando tiver cara a cara c/ ela durante a cerimonia? Adorei esses apelidos, vc parece eu escrevendo um diário que tenho, só que o meu escrevo todo em inglês, ninguém em casa consegue ler...

    ResponderExcluir
  10. Então... acho que vale a pena ir, por alguma razão ele lembrou de você, e independentemente das "convenções", aproveite o momento! e os docinhos!

    Abração e grande semana!

    ResponderExcluir
  11. Mário? Alguma coisa a ver com armário? hahaha

    Bom, você já sabe o que eu penso a respeito. E para te aliviar um pouco a tensão e te fazer rir um pouco, te dizer que o meu smoking já está alugado hahaha

    Acuda!

    ResponderExcluir
  12. *Gay Incomum, seja bem-vindo!! Juro que quando vi seu nick achei que era uma paródia ao meu... huahauhauaha

    Mas fica a vontade pela minha humilde maloca...

    Meu lado bom menino tá querendo matar o Colega Mário e foi providenciar um revólver... O lado mau menino quer apenas que ele sofra POR MUITO TEMPO com as torturas que estou listando... rs

    Mas vou relevar tudo isso e vou tentar comparecer sem provocar muito estrago.

    Abraços!!


    * Papai Urso do Interior, nem quero pensar muito nisso pra não sofrer por antecedência.. na hora eu vejo o que faço... rs. Mas sério que vc tem um diário em inglês?/ Eu tenho plena certeza de que vc precisa ter um blog pra vc postar suas histórias.. rs

    Abraços, meu querido!!


    * Latinha, eu estou focando nos docinhos, pode ter certeza... Huahuahauahua

    Abraços!!


    * Lobo, sabia que alguém iria fazer uma piada com esse trocadilho!! rs Máripo, neste caso, até poderia ter algo a ver com armário, mas tem mais a ver com um certo personagem presente na nossa infância... rs

    Sobre o seu smoking já estar alugado, eu fico é mais triste que mais pessoas tenham que se submeter a essa tortura...

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  13. Cara Comum, obrigado pelas boas-vindas e seja bem-vindo tbm ao meu blog.
    Agradeço seus comentários lá.
    Quanto ao nick, poderia ser uma parodia sim, embora eu tivesse pensado nele antes de conhecê-lo. rsrs

    Abração!!

    ResponderExcluir
  14. Ai, ai... pois eu adoro um evento! Façoquestã, inclusive! Ainda bem que somos todos diferentes!

    ResponderExcluir
  15. * Gay Incomum, eu imaginei que o nick veio antes do meu blog. Só estava brincando com a coincidência... Abraços!!!


    * Fred, pois por mim, vc pode ir disfarçado da minha pessoa no meu lugar... Hahahahaha

    Abraços!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails