sábado, 1 de outubro de 2011

De repente, não mais que de repente...

Olha eu por aqui!!! Eu não falei que voltava??? Nesse tempo todo que estive longe (uma pequena eternidade), como eu senti a falta de todo mundo... Minhas leituras diárias, meus prazeres secretos e inconfessáveis... E, retomado o posto de sempre, voltemos à programação normal.

Aliás normal não é o melhor adjetivo para esse blog. Por aqui é sempre o caos, não acham?? Deve ser reflexo da minha cabeça... Mas tem uma razão de ser, afinal a proposta do blog passa por ser mais improviso e algo orgânico ao invés de ter algo realmente programado. Os tais posts programados, por exemplo, ainda não tiveram serventia na minha mão... hehehe

Nesse tempo longe daqui até que surgiram uns assuntos que eu vou escrever em breve por aqui, mas hoje aconteceu uma coisa que me deixou firmemente impressionado e eu tenho que compartilhar com vocês, meus queridos companheiros de orgasmos bloguísticos (neologismo, a gente também vê por aqui!).

Estava eu numa fila de caixa dessas lojas de departamento, distraído da vida, quando ouvi uma música que há muito tempo eu não ouvia. Adoro essa tal música e comecei a cantar junto. De repente, sem maiores explicações, comecei a chorar. E não era um choro comovido, ou por lembrar de algo específico. Simplesmente estava numa comunhão com tal música como nunca antes havia entrado. E a canção nem é tão nova assim. Ou melhor, ela é relativamente velha.

As lágrimas escorriam fartas. A coisa foi tomando tamanha proporção que eu comecei até a soluçar. Todo mundo da fila me olhando, obviamente. Eu, constrangido pela cena, larguei as compras numa prateleira saí da fila e da loja. Fui procurar um banco de praça qualquer que estivesse mais discreto. Chorei como menino pequeno. Recomposto, voltei pra tal loja, reencontrei minhas compras no mesmo lugar e, apesar da cara óbvia de choro que eu deveria estar, continuei o que eu tinha que fazer normalmente.

Eu sei que contei pra vocês sobre isso de uma forma pública, mas eu negarei até a morte aquele que ousar usar esse episódio contra mim... hehehe

Vocês devem mesmo estar curiosos para saber qual era a tal música. Ela em si não importa. O que importa foi essa experiência, digamos, mística que eu tive. Mas, pra ninguém se matar de curiosidade, vou entregar o ouro mesmo correndo o risco de ser linchado em blogsville pelo gosto musical... Escute aí embaixo:



Desculpa, mas hoje não é dia de rock, bebê...

6 comentários:

  1. seu chorão!
    hahaha

    usarei isso contra vc pra sempre
    kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. * Foxx, mas chorão eu sempre fui, isso é o de menos na história... kkkkkkkkkkk

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  3. Bem-vindo de volta, então. E chora o quanto quiser que faz bem. Mas só de vez em quando, claro.
    Adorei ler (todos) os teus comments em (todos) meus posts passados! Muito luxo isso. Heheheheh! Hugzão, dear!

    ResponderExcluir
  4. * Fred, quer se sentir exclusivo?? O TPM foi o primeiro blog que fiz isso... Agora eu jogo o balde de água fria: eu sigo a ordem de atualizações do meu blogroll... Hahahaha!!

    Mas vc sabe que é sempre um prazer (quase sexual) ler, reler, comentar, rir e chorar com vc!!! Obrigado por cada linha, tzá?

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Papai Urso do Interior6 de outubro de 2011 22:58

    Eu chorava nas canções dele à frente do Los Hermanos, meus Deus o que eram aquelas músicas? Pareciam escritas p/ ser trilha sonora da minha vida (Cara Estranho, O Velho e o Moço, Quem Sabe, Sentimental, Todo Carnaval Tem Seu Fim...). Acho que o fim da banda me deixou de mal com ele, não conhecia essa da carreira solo mas tem razão é muito boa.

    ResponderExcluir
  6. * Papai Urso do Interior, eu amo esse cara... Hehehe. Só uma coisinha: muitas das canções que vc citou aí são de composição do Rodrigo Amarante e não do Marcelo Camelo. Mas vou dizer que Los Hermanos, não só o Marcelo Camelo, já me emocionaram muito e já fizeram minha cabeça, então não importa muito quem fez o que, né?

    Grande beijo!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails