domingo, 4 de setembro de 2011

Um Leão bicho do mato - II


A gente muda muito, a ponto de ficar irreconhecível aos nossos próprios olhos. Eu sempre fui um garoto que gostava muito de sair. Quase nunca parava em casa porque sempre arrumava algo para fazer mas, quando isso não acontecia, eu estava em casa rodeado de amigos que vinham me visitar.

Já o meu pai sempre foi um cara caseiro (desde que eu me lembre) e, muitas das vezes, minha mãe saía pra passear ou visitar algum parente com meu irmão e comigo, enquanto meu pai ficava em casa. Já critiquei muito meu pai por causa disso, mas hoje pago muita língua.

Como eu disse, a gente muda e chegou um momento que minha mãe começou a diminuir o ritmo de sair de casa mas eu, já adolescente, continuava a ser alguém que raramente não arrumava um motivo pra sair por aí. Por conta disso, passei anos (coisa de 15 anos, mais ou menos) sem visitar muitos dos meus parentes porque eu só queria saber de sair com os amigos, sair pra diversão...

Acontece que há uns 5 anos atrás, passei por uma crise fortíssima de depressão, daquelas que a CID 10 classifica como o tipo mais grave possível (depressão grave com sintomas psicóticos) apresentando comorbidade com alguns transtornos fóbicos-ansiosos. Assim, eu não conseguia mais sair de casa e, quando o fazia, eu passava muito mal. Hoje, muito dessa história está superada. Ficou apenas alguns resquícios disso que eu vivi.

Algumas pessoas às vezes me dizem que a gente muda quando a gente quer e outras dizem que não é possível mudar o que você é. Não é bem assim. Eu era outra pessoa e hoje sou alguém bem diferente que eu mal reconheço. Por muito tempo, eu não aceitava essa mudança. Ultimamente eu reconheço que não sou mais aquele cara do passado, mas que é possível mudar numa direção que me deixe satisfeito comigo mesmo. Eu também não mudei porque eu quis. Sou hoje alguém bem diferente e a mudança aconteceu totalmente contra aquilo que eu desejo. E quero mudar mais uma vez, mas não é tão simples quanto desejar e fazer. Hoje quando tento sair de casa, não é com mesmo gosto que eu fazia antes. É como um grande desafio de superação, um confronto, um pequeno fardo.

Na semana retrasada, recebi a notícia da morte de um parente. Como havia mais de uma década (literalmente) que eu não visitava outros familiares, lá fui eu fazer algo que é comum na minha família: transformar um velório num momento de reencontro de parentes que não se veem há muito tempo.

Confesso que foi muito bom. Reencontrar pessoas que eu não via há muito tempo, desenterrar lembranças que nem eu sabia que eu guardava...

Daí resolvi me comprometer a sair mais de casa novamente, a visitar meus amigos e parentes com mais frequência e de conviver mais com as pessoas que eu gosto, de uma forma ou de outra. Porque acredito que a mudança é possível. Esse Leão aqui pode ser um bicho do mato, mas não tem medo de enfrentar a selva que ele pretende conquistar e ser o rei novamente...

16 comentários:

  1. Os desafios q permeiam nossa vida são mega importantes.
    Mas é aquele lance: um passo de cada vez.

    Acho q esse reencontro com o pessoal da sua família pode gerar bons frutos.
    Ao contrário de vc: sempre fui caseiro.

    Eu me identifiquei em um dos pontos q vc apresentou: tb sempre fugi de encontro com os parentes. Rs.
    Mas por motivos outros.

    Mas a reconquista da selva virá bravo Leão.
    ;)

    ResponderExcluir
  2. vem comer pizza aqui em casa então...
    hehe

    ps: reconheço nossa conversa nesse texto...

    ResponderExcluir
  3. * Prisioneiro 0001, valeu pelo incentivo!! A gente vai seguindo, meu camarada.... Abraços!!

    * Foxx, meu querido!! Comer pizza é uma ótima ideia. Só não garanto que vai ser algo que aconteça rapidamente porque tenho que convencer maridão também... hehe... Ah, e tem muito da nossa conversa neste texto. Além do outras conversas, claro! Porque eu sou bicho do mato mas sou "vacinado com agulha de vitrola"... hahaha. Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Caraca! Depressão é foda, espontaneamente ela domina a mente das pessoas, e não é fácil sair dessa...

    Embora muitos falam que depressão é coisa do diabo, ou então que é para pessoas fracas, eu sempre discordei, pois qualquer um está vulnerável a essa doença...

    A vida é uma constante, vivemos mudando, alterando hábitos ,costumes, rotinas...

    E aceite logo aos convites do FOXX..hahahaah
    Quero ler em breve, como foi o passeio de vocês...rs
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  5. Eu não entendo depressão. Não pejorativamente falando, como se julgasse como uma doença de gente fraca, mas realmente me falta subsídios para entender. Eu tenho aqueles episódios de depressões normais ocasionais que toda pessoa tem, mas no dia seguinte ou dali a alguns dias sempre fico bem. Então não faço ideia do que é ter esse efeito crônico.

    Mas ter que visitar meus familiares certamente pioraria minha depressão invés de melhorar hahaha

    E sobre o Design Gráfico, realmente. Eu estive conversando com chefa, e ela já me deu altas ideias também, especialmente sobre construção de modelos de dissecação e tudo mais. Falta saber agora se vou gostar do curso né? hahaha

    Beijo doido!

    ResponderExcluir
  6. * Ro Fers, eu tô lutando todo dia. Sobre o convite do Foxx, como eu disse, não depende só de mim... Hehehehe... Abraços!!

    * Lobo, fica tranquilo que esse negócio de não entender a depressão é algo que até eu (que estava passando pela situação) não compreendia direito...

    Só que eu não disse que visitar parentes melhora meu quadro. Eu disse que preciso enfrentar essa coisa e voltar a visitar amigos e familiares como eu fazia..

    Beijo, doido!!

    ResponderExcluir
  7. Querido amigo agradecendo e retribuindo a visita. Gostando de estar aqui e poder viajar por suas emoções e sentimentos. Sabe de uma coisa, somos eternos mutantes, para melhor e para pior. Não esquente muito a cabeça com isto, são fases q vêm e q vão. O q importa é estarmos atentos e sempre q julgarmos necessário darmos aquela guinada em nossos caminhos.

    bjão

    ResponderExcluir
  8. * Paulo, meu bem, seja bem-vindo!! Vc no meu blog é realmente uma surpresa agradável... Eu estava me perguntando por que eu não seguia seu blog, já que eu, de vez em quando e de quando em vez passava por lá pra dar uma espiada e gostava do conteúdo... Enfim, gosto muito do seu espaço, tenha certeza!!!

    Ah, eu concordo com seu comentário e é por isso que eu sigo em frente!! Grande abraço e muita paz!!

    ResponderExcluir
  9. Sou muito bicho do mato quando o assunto é família. Não me dou muito bem com o resto dela, salvas as devidas exceções. Me solto mais com os meus amigos, mas isso é normal. Ainda me tornarei adepto da "família de amigos", huahuahuhauha

    Outra situação que eu fico meio cabreiro é quando eu não tenho grana pra sair, e esses períodos de "dureza" duram (trocadalho do carilho...) algum tempo... Fazer o quê... universitário sem estágio dá nisso.

    Abraços, o/

    ResponderExcluir
  10. * Jovem Urso, estava sumido, hein, rapaz!! Nem no seu blog tava dando notícias... Olha esse negócio de ser bicho do mato é algo que eu vou lutando contra porque vc viu que, a princípio, não é porque eu tenho algo contra minha família ou amigo, mas um hábito e um costume adquirido d forma nada intencional...

    Sobre o lance da grana, é foda mesmo, mas um dia a gente rouba um banco, que tal?

    Enfim, boa sorte pra nós!! Abraços!!

    ResponderExcluir
  11. Interagir pode ser um saco. Mas é preciso. Hehehe! Desejo sucesso na operação "saída da concha"! Hugz, man!

    ResponderExcluir
  12. * Opa!! interaggir pode ser um saco e um saco pode ser bom, né?? hehehe... Valeu, man!! Hugz!!

    ResponderExcluir
  13. eu sei bem como é isso, nao sei se cheguei nesse nivel de depressao(pq nao procurei tratamento na epoca) mas ja fiquei uma 'merda' por alguns anos a ponto de nao ter vontade nenhuma de sair do quarto por exemplo e era taxado de antisocial por uns tempos, e usava esse isolamento para estudar, senao provavelmente teria ficado maluco ou me matado hehe.
    Mas ninguem sabia bem como eu estava me sentindo e ouvir esses tipos de comentarios que faziam sobre mim só me deixava mais puto com as pessoas e amigos, que eu inclusive deixei de falar para sempre.
    Hoje em dia convivo razoavelmente com isso e saio muito mesmo, baladas festas qse sempre para nao voltar a aquela depressao que eu passava; mas todas essas festas raramente me trazem alegrias.
    abraço

    ResponderExcluir
  14. * Fabrício, pois é... Eu tb não saida do quarto... O bicho estava pegando mesmo... Mas que bom que vc melhorou, né?? Boa sorte aí pra nós todos!! Abração!!

    ResponderExcluir
  15. Papai Urso do Interior11 de setembro de 2011 19:41

    Caramba, vivendo e aprendendo, brigado por partilhar, sabe me comovo com historias que não são minhas, acho isso legal porque sou humano. Tive depressão tb, a minha foi mais branda que a sua, graças a Deus, mas é incrível como ficar em casa passa a ser legal e enfrentar as pessoas lá fora torna-se insuportável, sei bem o que vc passou... Como diz Elba Ramalho numa música, "Felicidade urgente p/ todos nós!"

    ResponderExcluir
  16. * Papai Urso do Interior, saudades de vc, cara!! Pois é: enfrentar o mundo era algo insuportável, mas estamos voltando à ativa aos poucos... E "felicidade urgente para todos nós!"

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails